"A maré viva, é uma coisa que a gente não controla. É uma coisa que a gente não escolhe quando vai acontecer. Mas é uma coisa que quando acontece, a gente tem que deixar rolar e tem que deixar demolir tudo. Porque só existe uma coisa que é de verdade, o que a gente acredita. O que os outros acham que a gente tem que ser? Foda-se. O que as pessoas fariam no nosso lugar? Foda-se. O que as pessoas acham que a gente devia fazer? Foda-se. Porque um dia, essas pessoas, vão pegar a gente no dia errado. E a gente vai atropelar elas. A gente vai afogar esse bando de filho da puta, e ai não vai ter pra ninguém. A galera vai ter que varrer a gente, vai ter que engolir a gente. Nós somos a MARÉ VIVA!"
Lucas Silveira. 
"E esse domingo tem cheiro de final pra nós, pro resto do mundo é só mais um final de semana, para o calendário, só o começo dela. Arrependimentos? Sem eles. Todos os erros só foram a prova mais concreta de que somos de carne e osso. E quebramos. Dizem que criamos um mundo ilusório e cheio de drama. Talvez, e talvez seja isso que nos difere do resto do mundo. Sentimos, sem vergonha. Mostramos, pra quem sabe, através das linhas sem sentido, nos libertarmos. E no fim, no nosso fim, ainda não vemos o fim do túnel, muito menos a luz que tanto falam. Mas no fim, vemos que estamos juntos, assim como no começo. Apenas é o fim de contas, senhas e mensagens. Temos muito mais dentro de nós, coisas que nem mil frases enviadas por mil ‘enters’ conseguiriam explicar, ou muito menos deixar acabar… meus caros, fios nunca foram laços. O adeus é só o ponto de partida pra uma nova era, novos sonhos, sem tomadas ou cabos. E a lembrança, vai ser só pra não nos deixar esquecer quem fomos. E a saudade, essa eu já mandei embora faz tempo.
Tchau, enfim, cresci."
Lucas Silveira
QS